quinta-feira, 7 de junho de 2012

Precisaremos de ‘três planetas’ em 2050, afirma estudo



Por Daniel Accioly Nenhum Comentário
O relatório Living Planet, publicado a cada dois anos pela WWF reunindo dados científicos sobre o meio ambiente, aponta para uma constatação alarmante: de acordo com o estudo, se os recursos naturais continuarem a ser utilizados no atual ritmo, precisaremos de quase três planetas em 2050 para atender à humanidade.
O relatório dedica um espaço especial ao período de 20 anos entre as conferências Eco 92 e Rio+20, e conclui que, apesar dos esforços da ONU, as condições do planeta pioraram no periodo.
O protocolo de Kyoto, estabelecido em 92, não apresentou resultados positivos no período. O acordo, que tinha como base compromissos mais rígidos por parte dos países para a redução das emissões dos gases que agravam o efeito estufa, foi rejeitado pelos EUA, país que mais polui no mundo.
Recentemente, o Canadá alegou não conseguir atender às exigências do acordo. Apesar de os esforços de nações como Reino Unido, que aprovou lei em 2008 que projeta a  redução de 80% nas emissões de gases no país até 2050, os resultados ainda são discretos.
A água é outra questão preocupante. De acordo com o relatório, quase um terço da população mundial sofre com a seca em pelo menos um mês do ano. O estudo lembra ainda que o assunto foi pouco debatido no encontro de 1992, mas que soluções são urgentes para o momento.
Jim Laepe, diretor geral da WWF, mostrou otimismo, mas não omite a gravidade da situação: “Nós temos a capacidade de criar um futuro próspero com comida, água e energia para os 9 ou 10 bilhões de pessoas que vão habitar o planeta em 2050, mas apenas se todos nós — governos, comunidades, cidadãos — nos prepararmos para esse desafio”, afirmou Laepe à Veja. E completou: “Vinte anos após a histórica Cúpula da Terra, a Rio+20 pode e deve ser o momento para os governos entrarem em acordo sobre um novo caminho para a sustentabilidade. É uma oportunidade única para haver uma congregação de comprometimento, em que países de diferentes regiões, como a bacia do Congo e o Ártico, se unam para o melhor uso de recursos que eles compartilham; em que empresas que competem no mercado unam forças para incorporar a sustentabilidade em suas cadeias de produção e para que passem a fornecer produtos que utilizem menos recursos; em que os fundos soberanos e de pensões passem a investir mais em empregos verdes”
O relatório aponta para avanços também. Houve um aumento na eficiência do uso dos recursos naturais e diminuição nos índices de desmatamento. Além disso,  ocorreu um aumento de 45% na eficiência agrícola, apesar de fazer questão de afirmar que o planeta não pode mais arcar com os impactos ecológicos desse aumento. Outro ponto positivo foi a mudança de perfil da pesca. As técnicas tradicionais estão sendo substituídas pela produção sustentável de peixes, como uma forma de evitar a escassez crescente dos mares.
Não teremos disponíveis três planetas em 2050. Por isso, o relatório aponta para a necessidade de uma atitude imediata por parte da sociedade.
Saiba mais detalhes sobre o relatório aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Wikipedia

Resultados da pesquisa

Seguidores

Barra de vídeos

Loading...
Ocorreu um erro neste gadget